Conheça o nosso catálogo de produtos

O LIVRO DO AMIGO E DO AMADO

Dê Sua Opinião Sobre o Produto

Disponível: Em estoque

Preço Normal: R$6,00

Promoção: R$1,00

Resumo

O texto de Lúlio se insere na importante tradição dos tratados sobre o amor cujo início pode ser localizado não somente no Cântico dos Cânticos de Salomão, mas também no Banquete de Platão e cuja aceitação chega ao auge na Renascença especialmente com o Banquete, de Dante Alighieri, o Sobre o Amor, de Marsílio Ficino, os Diálogos de Amor, de Leon Hebreu e os Furores Heróicos, de Giordano Bruno.

O LIVRO DO AMIGO E DO AMADO

Detalhes

O tema do amor é fascinante, pois sobre ele pode-se falar sob diversas perspectivas e de múltiplos modos. Dele falam os poetas, os filósofos, mas também os místicos. Por isso, é evidente que um primeiro sentido do amor lembra a relação erótica entre amante e amado. Mas essa relação se desdobra e se distingue quando se fala não somente do amor como um vínculo entre o ser humano e a divindade. Essas duas dimensões estão estreitamente entrelaçadas na história da cultura ocidental. Mas especialmente na obra de Ramon Llull, ou Raimundo Lúlio (1232-1316), O Livro do Amigo e do Amado o que se destaca é a força do amor místico, o vínculo dos vínculos, que se estabelece entre o eremita e Deus. Não se trata, portanto, da descrição da natureza e da potência de Eros (amor), mas sim da caracterização do amor como ágape, o amor intelectual do amigo (Blanquerna) para com o seu amado (Deus). O texto de Lúlio se insere na importante tradição dos tratados sobre o amor cujo início pode ser localizado não somente no Cântico dos Cânticos de Salomão, mas também no Banquete de Platão e cuja aceitação chega ao auge na Renascença especialmente com o Banquete, de Dante Alighieri, o Sobre o Amor, de Marsílio Ficino, os Diálogos de Amor, de Leon Hebreu e os Furores Heróicos, de Giordano Bruno.

Informação Adicional

Título O LIVRO DO AMIGO E DO AMADO
Subtítulo Não
Autores Raimundo Lúlio (Ramon Llull)
Sinopse

O tema do amor é fascinante, pois sobre ele pode-se falar sob diversas perspectivas e de múltiplos modos. Dele falam os poetas, os filósofos, mas também os místicos. Por isso, é evidente que um primeiro sentido do amor lembra a relação erótica entre amante e amado. Mas essa relação se desdobra e se distingue quando se fala não somente do amor como um vínculo entre o ser humano e a divindade. Essas duas dimensões estão estreitamente entrelaçadas na história da cultura ocidental. Mas especialmente na obra de Ramon Llull, ou Raimundo Lúlio (1232-1316), O Livro do Amigo e do Amado o que se destaca é a força do amor místico, o vínculo dos vínculos, que se estabelece entre o eremita e Deus. Não se trata, portanto, da descrição da natureza e da potência de Eros (amor), mas sim da caracterização do amor como ágape, o amor intelectual do amigo (Blanquerna) para com o seu amado (Deus). O texto de Lúlio se insere na importante tradição dos tratados sobre o amor cujo início pode ser localizado não somente no Cântico dos Cânticos de Salomão, mas também no Banquete de Platão e cuja aceitação chega ao auge na Renascença especialmente com o Banquete, de Dante Alighieri, o Sobre o Amor, de Marsílio Ficino, os Diálogos de Amor, de Leon Hebreu e os Furores Heróicos, de Giordano Bruno.

Nome da Coleção Raimundo Lúlio
Editora Instituto Brasileiro de Filosofia e Ciência "Raimundo Lúlio" / Editora Escala
Número de páginas 74
ISBN do Livro 8575567438
Encadernação Brochura
Peso 0.1000
Dimensões do Produto 16x12
Ano da Edição 2006
Idioma Português

Tags do Produto

Use espaços para separar as Tags. E aspas simples (') para frases.